sexta-feira, janeiro 27, 2023
spot_img
InícioPolíticaCidadesProfessores protestam e prefeito acusa politicagem do SINTEPP: "Viúvas e xiitas"

Professores protestam e prefeito acusa politicagem do SINTEPP: “Viúvas e xiitas”

Durante o protesto realizado na manhã desta segunda-feira, 14, manifestantes tentaram entregar um documento no gabinete do prefeito, onde cobravam uma reunião para tratar de pagamentos de salários para alguns professores, mas foram barrados por membros da Guarda Municipal.

Segundo a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores da Educação -SINTEPP de Santa Luzia, Elizalba Mota dos Santos, o prefeito Adamor Aires (PSB) vem ignorando apelos dos professores que aguardam o pagamento do salário do mês de Dezembro de 2020, que não foi realizado pela gestão anterior, do prefeito Edno Alves (MDB).

https://youtu.be/cuKeL9EPAP8

Nossa redação recebeu documentos, sobretudo requerimentos para que professores que estão sem receber, estivessem com licença aperfeiçoamento, um direito de quem precisa dar continuidade nos estudos para se qualificar ainda mais em sua área de conhecimento.

Uma outra queixa dos professores ligados ao SINTEPP é que o pagamento da categoria atrasa todos os meses e que durante os meses de Janeiro e Fevereiro, todos os profissionais da educação pública municipal ficaram sem receber, só vindo “cair” o dinheiro em suas contas no mês de Março.

Ainda segundo Elizalba, em uma reunião intermediada pelo representante do Ministério Público no município, o Secretário Municipal de Educação, Robson Roberto da Silva reconheceu a dívida do pagamento do mês de Dezembro de 2020, mas disse que só fará o pagamento aos professores e pessoal de apoio quando tiver dinheiro para tal. Em uma tentativa de acordo entre vereadores e o SINTEPP, ficou acertado que o pagamento poderia ser feito dia 30 do mês de Maio, mas ele não ocorreu.

A dirigente do SINTEPP também alega que a prefeitura recebeu no início do ano, um montante de 1,2 milhões de reais e que já poderia ter usado esse recurso para efetuar o pagamento dos salários atrasados.

Entre os manifestantes que reclamam que estão sem receber seus salários, estão:

Edilane Salomão Santos, professora de língua portuguesa reclama do atraso no pagamento por 7 meses.

Flávio Jorge Souza, professor de Língua Portuguesa diz que está 3 meses sem receber seu salário, sendo que está de licença aperfeiçoamento para cursar o doutorado na UFPA.

Terezinha Ferreira, professora de Artes diz que também está com salários atrasados, sendo que está de licença aperfeiçoamento para cursar o doutorado na UFPA.

O OUTRO LADO: A VERSÃO DO PREFEITO

A redação deste portal entrou em contato com o atual prefeito de Santa Luzia do Pará, Adamor Aires e este se manifestou de forma contundente, em mensagens e dois áudios. Ouça-os logo em seguida.

Sobre o montante de 1,2 milhões recebidos pela prefeitura, Adamor disse: “Esse valor que foi um resíduo do FUNDEB de 2020, creditado no fim de janeiro de 2021, foi utilizado para pagar os restantes de 50% do décimo terceiro dos Professores e do pessoal de apoio, cuja despesa ficou em torno de R$ 1 milhão e 300 mil. Débitos da gestão passada pagos pela atual gestão.

Em relação à falta de pagamento de salário de professores, o prefeito disse: “São casos isolados que estão sendo avaliados pela SEMED Local. O que existe são 02 ou 03 Professores ligados ao SINTEPP, que vem utilizando o Sindicato pra politicagem.

São as chamadas “VIÚVAS” da gestão passada e derrotada nas urnas pela maior diferença já havida numa eleição municipal em Santa Luzia do Pará”.

Essas mesmas pessoas, ditas Professores, foram cúmplices da LADROAGEM promovidas pelo ex- Prefeito Edno Alves, que assaltava os recursos do FUNDEB para comprar uma MINA CLANDESTINA DE MANGANÊS no Município de Marabá. A Polícia Federal, inclusive, já instaurou inquérito para apurar os desvios.

Enfim, NÃO EXISTE MOVIMENTO DA CATEGORIA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO contra a gestão.

Todos os Professores e pessoal de apoio estão com seus salários de janeiro até hoje RIGOROSAMENTE EM DIA, como já frisado.

A história é só uma: o ex-Prefeito Edno Alves, hoje morador de Parauapebas, paga e financia 03 Professores pra fazer agitação política, fato totalmente repudiado pela população local.

Não se trata de manifestação reivindicatória, mas um ato de pura politicagem. Na verdade, trata-se de uma reclamação de apenas 02 Professores.

1) um se diz licenciado do cargo pra fazer especialização, mas desde que a nova gestão tomou posse não procurou a SEMED pra informar a suposta licença que está eivada de irregularidades.

2) outra é de uma Professora que não está licenciada e há 07 meses não aparece pra trabalhar.

Os dois casos já estão tramitando na JUSTIÇA. Sobre essas reclamações pontuais o SINTEPP já entrou com ação judicial reclamando desses pagamentos citados.

Estão fazendo disso pura politicagem”.

Adamor Aires, prefeito municipal de Santa Luzia do Pará, em mensagens para a redação deste portal.

Ouça os áudios do prefeito:

https://soundcloud.com/di-genesbrand-o/adamor-aires-sao-viuvas-xiitas-cumplices-da-gestao-passada
https://soundcloud.com/di-genesbrand-o/adamor-aires-sao-4-ou-5-pessoas-foram-cumplices-do-assalto-ao-fundeb-e-a-merenda-escolar

Leia também:

Após decisão do STF, professores entram na Justiça para receber a diferença do Piso Salarial

Governo e SINTEPP não se entendem e vacinas para professores continuam guardadas

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados