terça-feira, fevereiro 7, 2023
spot_img
InícioDestaquePrivatização no DETRAN provoca greve por tempo indeterminado

Privatização no DETRAN provoca greve por tempo indeterminado

Tudo parado no DETRAN. “Helder, a culpa é tua”, diz sindicalista

O Departamento de Trânsito do Pará, DETRAN amanheceu, como previsto, de portas fechadas. É que a greve prometida pelo Sindicato dos trabalhadores da autarquia foi cumprida e segue até que o governo do estado atenda as reinvidicações, que vão desde o reajuste salarial, até a suspensão da Portaria nº 024/2020, de 10 de janeiro deste ano, na qual a direção do Detran definiu os requisitos técnicos e procedimentos para o credenciamento de empresas visando a terceirização da prestação do serviço de vistoria veicular.

Considerada um balcão de negócios, a terceirização ignora a existência de servidores públicos capacitados para executar o serviço que o governo Helder Barbalho quer entregar para a iniciativa privada, o que pode criar uma relação promíscua entre contratante e contratado.

“A ilegalidade também se traduz na transgressão do princípio da hierarquia das normas, uma vez que matéria trazida em simples portaria não pode se confrontar com previsão contida em lei”, disse o diretor jurídico do SINDETRAN, que ajuizou uma ação civil pública a fim de suspender os procedimentos de terceirização e, na quinta-feira (16), o Juiz Raimundo Santana, 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, determinou a intimação do diretor-geral do Detran para prestar esclarecimentos sobre a terceirização do serviço de vistoria veicular, no prazo de cinco dias.

De acordo com o Sindtran, a portaria se confronta com dispositivo expresso na Lei Estadual nº 7.796/2014 – plano de cargos dos servidores do Detran – que prevê a atividade de vistoria a ser exercida diretamente por essa autarquia através de servidores públicos efetivos, providos no cargo de vistoriador, no total de 133 servidores.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran/PA), Dênis Sampaio, disse que o objetivo da greve é suspender a maior parte dos serviços do Detran, especialmente o atendimento de veículos e a emissão Carteira Nacional de Habilitação (CNH), quanto a, exames teóricos e práticos,  assim como parar também a vistoria veicular, fiscalização e educação para o trânsito, entre outros.

Dênis alerta que é ilegal a terceirização do serviço de vistoria veicular – principal setor a ser atingido pela greve da próxima segunda-feira. “O serviço de vistoria é um exercício do poder de polícia do Detran, que não pode ser delegado a uma empresa privada”.

O presidente do SINDETRAN também relatou ao portal Amazon Live, que mesmo com uma decisão judicial contra a portaria de privatização do governo, poucos veículos de comunicação noticiaram o fato, “talvez por estarem nas mãos do governador, através do pagamento de anúncios”, disse Dênis Sampaio.

Desde o começo desta segunda-feira (20), o Sindtran comanda a mobilização dos servidores em frente à sede do Detran, na Avenida Augusto Montenegro, bem como no edifício do órgão situado na Rua Antônio Barreto próximo à Avenida Doca de Souza Franco.

Dênis Sampaio alega que o sindicato tentou por diversas vezes ser recebido pelo diretor-geral do Detran, Marcelo Guedes, que ignorou as tentativas de diálogo. “Vários ofícios requerendo audiências foram protocolados desde dezembro de 2019, todos sem resposta”, afirma.

O que reivindicam os servidores do Detran do Pará? 

Principais itens da pauta de reivindicação:

  1. Reposição inflacionária de 4,31% referente à data base de abril/2019 (conforme determina o art. 117 da Lei n.° 5.810 de 24 de janeiro de 1994 – Regime Jurídico Único);
  2. Reajuste da Gratificação de Trânsito dos Servidores do Detran, mediante reposição inflacionária referente à data base de abril/2019 no índice de 4,31% (conforme o art. 29 da Lei n.° 7.594 de 28 de dezembro de 2011);
  3. Revogação da portaria de terceirização do serviço de vistoria veicular;
  4. Revisão do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos servidores do Detran e avaliação periódica de desempenho dos trabalhadores de trânsito da autarquia; e
  5. Concurso público regionalizado para preencher 830 cargos vagos existentes no Detran.
RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados