sexta-feira, janeiro 27, 2023
spot_img
InícioPolíticaPoder LegislativoOs 40 anos de Cássio Andrade e seu sucesso na política

Os 40 anos de Cássio Andrade e seu sucesso na política

Ao completar 40 anos de vida e 19 anos de carreira política, o presidente estadual do PSB-PA tem muito a comemorar.

Em 2002, Cássio Andrade disputou pela primeira vez uma eleição como candidato a deputado estadual, mas não foi eleito. Dois anos depois, em 2004, foi o vereador mais jovem já eleito em Belém e não parou mais.

Em 2006, o PSB integrou a Coligação “Frente Popular Muda Pará”, encabeçada pela candidatura de Ana Júlia (PT), que consagrou-se vitoriosa, sendo a primeira mulher a ser eleita para governar o Pará. Nesse mesmo ano, Cássio foi eleito deputado estadual, sendo reeleito nas duas outras eleições consecutivas (2010 e 2014), sempre pelo PSB e aumentando sua votação.

Em 2010, Ana Júlia perde o governo, mas Cássio Andrade, que a apoiou, continua com seus cargos e participando do novo governo de Simão Jatene (PSDB).

Mesmo tendo apoiado o governador Jatene em 2010 e 2014, e participado de seu governo, indicando vários membros do PSB para o governo, em 2018 Cássio seguiu o pedido de Jatene e apoiou a candidatura de Márcio Miranda (DEM) ao governo do Pará, mas este foi derrotado por Helder Barbalho (MDB).

Nessa mesma eleição, Cássio foi eleito deputado federal com 130.768 votos e deverá tentar a reeleição nas eleições do ano que vem ou tentar disputar a vaga ao senado, tese pouco debatida no PSB.

A DISPUTA E A PARTICIPAÇÃO NA PREFEITURA DE BELÉM

Tendo apoiado os dois mandatos do ex-prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB), quando o ajudou a derrotar Edmilson Rodrigues (PSOL) por duas vezes, em 2020 o jovem político disputou a prefeitura de Belém e obteve 6,88% dos votos válidos e ficou em 5° lugar, entre os 10 candidatos aptos que disputaram aquela eleição municipal.

Por ser da base aliada e vir apresentando seu nome para o grupo político que comandava a prefeitura de Belém, Cássio contava com o apoio de Zenaldo para sucedê-lo, mas o candidato escolhido pelo tucano foi Thiago Araújo (CIDADANIA), com quem Cássio rompeu imediatamente e apesar dos apelos, manteve sua candidatura.

Com apoio de Zenaldo e da máquina municipal, Thiago obteve 8,9% dos votos válidos, ficando em quarto lugar naquela eleição. Depois disso, Cássio e Thiago nunca mais foram vistos juntos.

No decorrer do segundo turno, Cássio Andrade reuniu o PSB em Belém e mesmo com muitas divergências históricas, convenceu seu partido a apoiar Edmilson Rodrigues – que conseguiu ser eleito com uma diferença de 3,52% sobre seu adversário – para seu terceiro mandato como prefeito da capital paraense.

O ADEUS AOS TUCANOS E A PARTICIPAÇÃO NO GOVERNO BARBALHO

Em fevereiro deste ano, Cássio Andrade aceitou o convite do governador Helder Barbalho e o PSB voltou a compor o governo do estado, indicando o suplente de deputado estadual e sindicalista, Zé Francisco para ser o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos e Valber Milhomem, ex-prefeito de Bannach, como secretário adjunto da SEJUDH – Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

Sob o comando de Cássio, o PSB indica cargos e ajuda a governar na prefeitura de Belém e no governo do Pará, tornando o partido um dos mais bem aquinhoados em governos locai. Só ainda não no governo federal, onde atualmente faz oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

ACUSAÇÃO E ARQUIVAMENTO

Em 2008, Cássio foi acusado pela Procuradoria Geral Eleitoral (PGR) por abuso de poder econômico, assim como os candidados Ademir Andrade e Nelson Marzullo Maia, também filiados ao PSB. Segundo a ação de investigação judicial, os três políticos teriam utilizado seus cargos — Ademir era presidente e Nelson Marzullo assessor jurídico da Companhia das Docas do Pará (CDP) e Cássio era vereador – para garantir o financiamento de mais de 400 outdoors espalhados por vários municípios paraenses.

Na época das acusações, o TRE-PA absolveu os políticos, mas o Ministério Público Eleitoral recorreu ao TSE. Ainda assim, o recurso fora negado por unanimidade no julgamento correspondente, sem oferecer consequências aos políticos envolvidos.

Cássio segue com a ficha limpa e entre os projetos de lei de sua autoria, que aprovou enquanto deputado estadual e federal, e seus posicionamentos, estão:

  • PEC que estendeu o direito à licença-maternidade para a mãe que adotar criança de qualquer idade, com duração de 180 dias;
  • Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia e uma Sub-comissão vinculada à Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, ambas destinadas a investigar cobranças abusivas, bitributação e outras irregularidades praticadas pelas concessionárias de energia elétrica, e propor medidas que solucionem esses problemas.
  • Atuação para garantir que o governo federal estabeleça compensações justas aos prejuízos causados aos estados exportadores de matérias primas decorrentes da Lei Kandir;
  • PL 30/2019, que amplia os procedimentos dos Planos de Ações de Emergência, em áreas de barragem;
  • PL 1519/2019, que propõe a utilização social de madeiras apreendidas, destinando-as à construção de embarcações apropriadas para o transporte escolar, por mestres carpinteiros navais, com apoio do FNDE.
RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados