segunda-feira, janeiro 30, 2023
spot_img
InícioBrasilGoverno FederalHelder enfrenta disputa interna no MDB para indicar Priante no Ministério de...

Helder enfrenta disputa interna no MDB para indicar Priante no Ministério de Lula

Depois de muitas especulações no jornalismo paraense, o nome de Jader Filho passa a ser descartado na formação do Ministério de Lula. É que Jader e Helder Barbalho até que têm peso e influência com o presidente eleito e no MDB nacional, mas não estão sós. Mesmo que em 2023, o partido vai perder a maior bancada da Casa depois de 25 anos, ainda possui caciques, como Renan Calheiros (AL), José Sarney (MA) e Baleia Rossi (SP) entre outros que estão dispostos a lutar para emplacar seus aliados de confiança, como ministros de Lula. Supostamente indicado para ministério de Lula, Jader Filho, o irmão de Helder Barbalho vai ter que esperar um pouco mais.

Quem pensa que na política 2+2=4 é porque não entende do meio.

O MDB quer emplacar três vagas no Ministério do terceiro governo Lula. Simone Tebet, que disputou a presidência é considerada como cota pessoal do presidente, devido a importância da senadora na campanha, durante o segundo turno.

Restariam mais dois ministérios para os caciques do MDB disputarem. Segundo o UOL, os emedebistas sondam pelo menos uma liderança, um senador e um deputado a serem colocados no cargos: O senador eleito Renan Filho (AL), ex-governador alagoano, ficaria com o Ministério de Minas e Energia. O governador Helder Barbalho (PA), reeleito com o maior índice de aprovação, indicaria o chefe do Ministério de Desenvolvimento Regional. Haveria espaço ainda para um deputado a ser definido pela bancada emedebista, comandada pelo presidente Baleia Rossi.

Eleito como o governador mais bem votado nas eleições deste ano e tendo papel de destaque nas fotos ao lado de Lula, no segundo turno, o governador Helder Barbalho (MDB) chegou até aqui como alvo de especulações de todo tipo, inclusive de que indicaria o irmão, Jader Filho para o Ministério das Comunicações, mas como na política as coisas mudam e outras não passam de sonhos ou projetos na mente das pessoas, o MDB nacional deve mesmo definir o que a real politik indicar.

Se a família barbalho tem boas relações com Lula e a cúpula do MDB, Renan Calheiros, que vem trabalhando a indicação do filho, o senador eleito Renan Filho para os mesmos ministérios cobiçado por Helder e seu pai, o senador Jader Barbalho, que mesmo com a saúde fragilizada, ainda apita e tem peso na voz dentro do partido.

Renan Filho passou oito anos reinando em Alagoas e se afirmou como um dos melhores governadores do estado do Alagoas e há cerca de duas semanas também vem sendo cotado para assumir a vice-presidência do Senado, proposta que vem direto do comando nacional do MDB, onde Helder e Jader Barbalho têm adversários de peso, como a família Renan.

Segundo o Antagonista, Lula, que disse já ter 80% dos ministérios na cabeça, se comprometeu com José Sarney na semana passada a entregar novamente o Ministério de Minas e Energia ao MDB. O problema é escolher um nome.

Renan Calheiros quer emplacar o filho Renanzinho, eleito senador, como ministro de Minas e Energia. Mas Helder Barbalho também quer a vaga e já sugeriu o nome do primo José Priante, deputado federal.

TABULEIRO NACIONAL MEXE NO GOVERNO DO PARÁ

Se o governador do Pará conseguir emplacar Priante no Ministério de Lula, a mexida em seu segundo governo do Pará terá novos atores com secretários estaduais trocados e toda uma engenharia política sendo montada para acomodar novos aliados, que ajudaram em sua estrondoza vitória e agora cobram e esperam espaços no segundo governo de Helder.

Segundo comentários recebidos por nosso redator, após a publicação da matéria Helder Barbalho e Dr. Daniel Santos tratam sobre a manutenção da aliança política, a busca de deputados federais eleitos pelo MDB paraense para ocupar vaga no secretariado estadual está intensa. Além da deputada federal Alessandra Haber, eleita com a maior votação em 2022, Helder tenta abrir mais espaços para outros suplentes na Câmara Federal, como o ex-prefeito de Piçarra de 2012 a 2020 e presidente da FAMEP de 2020 a 2022, Wagne Machado, que se candidatou a deputado federal este ano e recebeu 73.798, ficando como primeiro suplente do MDB.

O segundo suplente que pode assumir a vaga de um deputado eleito, como de Priante e Alessandra Haber é o ex-prefeito de Salinas, Paulo Henrique Gomes, que recebeu 59.597 votos e aguarda por uma decisão do governador para pegar o vôo para Brasília.

Nada disso está decidido, pois as pedras do tabuleiro político no Pará dependem do que ocorrerá em Brasília, onde a equipe de transição do governo Lula trabalha para entregar o relatório que vai balizar as futuras decisões do presidente eleito, e, paralelamente, a lista dos futuros ministros, que segundo se comenta, já está praticamente definida e será apresentada no próximo dia 13.

Leia também:

TRE-PA mantém multa contra Helder e Beto Faro e pedido de cassação e perda de direitos políticos ainda será julgado

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados