terça-feira, setembro 27, 2022
Google search engine
InícioPolíticaPoder LegislativoDireitos Humanos da ALEPA rompe silêncio sobre atentados contra Policiais Penais

Direitos Humanos da ALEPA rompe silêncio sobre atentados contra Policiais Penais

É impressionante como os deputados paraenses já não mais se importam com os problemas da população, sobretudo com a nova onda de violência que aterroriza a todos.

A maioria dos parlamentares do Pará só reagem depois do leite derramado, da porta arrombada ou depois que pessoas inocentes morrem e como agora, só depois de várias pessoas serem assassinadas. Infelizmente é o que ocorre nesta 19ª legislatura na ALEPA.

Indignado com tal omissão, o redator deste site usou sua conta no Twitter para cobrar algum posicionamento daqueles que deveriam propor leis e fiscalizar o poder executivo, mas que quase que em sua totalidade, parecem que só agem por empurrões, seja do governo, ou da opinião pública.

Após cobrança pública em redes sociais, o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Carlos Bordalo (PT) resolveu publicar uma nota de solidariedade às famílias de policiais penais mortos na Região Metropolitana de Belém, desde o último sábado, 10.

Será que a função de um deputado estadual é só receber dinheiro e cargos em governos e ficar calado para tudo que acontece?, pergunta um agente penal em mensagem privada para a redação deste site.

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA

No último domingo, enquanto postava vídeo dançando com seu animal de estimação, na segurança de sua casa, o deputado Toni Cunha não imaginava a dor da família do policial penal Wellington Claudio Lima, que naquele dia foi executado a tiros dentro da casa onde morava com sua família, no bairro Icuí-Guajará, em Ananindeua, região metropolitana de Belém.

POR QUE TAMANHA OMISSÃO?

A Comissão de Segurança, presidida pelo deputado Toni Cunha (PTB), já poderia ter convocado os Secretários de Segurança, Ualame Machado e de Administração Penitenciária, Jarbas Vasconcelos para explicarem o que estão pensando em fazer para cobrar das forças de segurança, um plano para identificar e prender os assassinos e mandantes dos que estão tirando a vida de policias penais do Pará. Em 5 dias, foram 7 atentados.

A Comissão de Segurança Pública da ALEPA, presidida pelo deputado Toni Cunha (PTB) tem como vice-presidente o Delegado Caveira (PP) e como demais membros, o delegado Nilton Neves (PSL), Fábio Freitas (Republicanos), Miro Sanova (PDT), Chamonzinho (MDB) e Michele Begot (PSD).

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

Depois de ser cobrado pelo silêncio de uma semana, onde sete (07) policiais penais sofreram atentados, por estarem sendo caçados pelo crime organizado, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALEPA, resolveu se pronunciar.

Assim como seus parceiros, Carlos Bordalo (PT) ficou calado por uma semana e só depois de ser cobrado, resolveu publicar uma nota na manhã desta sexta-feira,16, em solidariedade aos policiais penais que perderam suas vidas, vítimas de uma verdadeira caçada promovida por criminosos que reivindicam o fim da tortura, da falta de alimentação e outros direitos.

O governo diz que os criminosos reclamam pelo fim de regalias, antes existentes dentro das cadeias.

Em nota, o deputado Bordalo destaca que “a violência contra os agentes de segurança pública é um atentado contra o Estado e a segurança coletiva”.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, Deputado Bordalo, manifesta solidariedade aos policiais penais e suas famílias, vítimas de brutal violência de grupos e organizações criminosas, após o Governo do Estado adotar medidas mais rígidas nas casas penais. Continue lendo em: NOTA – PRESIDENTE DA CDHeDC-ALEPA

Entre as atribuições da Comissão de Direitos Humanos e do Consumidor está: Efetivar, nas áreas onde ocorrem maiores índices de violação dos direitos humanos, investigações e estudos para determinar causas, sugerindo medidas tendentes a assegurar a plenitude do gozo de tais direitos fazendo, ainda, campanhas de esclarecimento e divulgação.

Além de Carlos Bordalo, a comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor tem como vice-presidente o deputado Ozório Juvenil (MDB) e como demais membros os deputados Adriano Coelho (PDT), Ana Cunha (PDT), José Maria Tapajós (PL), Delegado Nilton Neves (PSL) e Orlando Lobato (PMN).

QUE ESTRATÉGIA É ESSA?

A badalada página Política Pará no Facebook, trouxe uma indagação que mexeu com as autoridades paraenses.

RELACIONADOS

1 COMENTÁRIO

  1. Povo paraenses, tem que criar vergonha na cara, e entender. E parar de releger essas pragas que só trazem desgraças ao nosso estado do Pará..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Anúncios -spot_img

Mais visualizados