segunda-feira, janeiro 30, 2023
spot_img
InícioPolíticaPoder LegislativoDeputados que são médicos reforçam o isolamento social e higienização no combate...

Deputados que são médicos reforçam o isolamento social e higienização no combate ao coronavírus

Por Mara Barcellos, via ALEPA

À medida que avança no Pará o número de casos de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, as medidas de isolamento social adotadas pelo Governo do Estado do Pará, recomendadas pelos organismos de saúde, são essenciais para conter a proliferação comunitária do vírus.

Para ajudar no combate do coronavírus no estado, parlamentares médicos que compõem o Legislativo Estadual reiteram o distanciamento social como medida fundamental para garantir saúde e maior segurança às ações governamentais e à sociedade em geral.

O presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado e médico ginecologista, Dr Daniel Santos, ressalta as medidas que foram aprovadas pelos parlamentares para resguardar os servidores, deputados e a população em geral que procura pelos serviços da Casa de Leis.

“Entendemos que esse é um momento que requer união de todos. Aqui na Alepa, adotamos algumas medidas preventivas, como por exemplo: a suspensão de sessões ordinárias em plenário, estas vão acontecer por meio de teletrabalho, via sistema remoto com votação online”, disse. 

Pará

Como era esperado pelo Secretário de Saúde Pública do Pará, Alberto Beltrame, abril começa a ter crescimento em relação ao número de infectados e de mortes no Estado. Até este momento os dados da Sespa confirmam 102 casos e duas mortes, sendo que 16 novos casos foram registrados nas últimas 24 horas, situação que exige maior conscientização da população em manter o distanciamento social.      

Até a poucos dias o Pará era o Estado com a menor incidência da doença no Brasil, como resultado de medidas preventivas adotadas pelo Poder Executivo com aprovação do Parlamento Paraense. Apesar de impactar a economia e o comportamento da sociedade, as orientações para evitar o contato social ainda devem ser mantidas e respeitadas por todos.

Portanto, a transmissão comunitária já se instalou na capital e Região Metropolitana de Belém, e vem crescendo no interior do Estado, realidade que exige maior isolamento social como principal reforço de prevenção para minimizar a contaminação. 

Uma pessoa infectada com o novo coronavírus pode transmitir, em média, para outras cinco pessoas, sem que tenha sequer apresentado sintomas, de acordo com informações da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa).

O deputado e médico cardiologista e presidente da Comissão Permanente de Saúde da Alepa, Dr Jaques Neves, detalhou a gravidade da doença e pediu maior consciência entre as pessoas e a união de esforços para combater a disseminação do vírus.   

“A Covid-19 está crescendo em número de infectados exponencialmente, e sobretudo na Itália, o que nos deixa aterrorizados e consternados. O vírus é letal e a pandemia é real. Como toda doença infectoparasitária contagiosa como a Covid-19, a gravidade é muito grande. No Pará, os casos estão avançando, mas a proporção ainda é pequena, porque as medidas corretas que foram tomadas a tempo pelo governo contiveram esse contágio”, evidenciou.

”Além das medidas protetivas na saúde, nós precisamos impedir a proliferação e a transmissão do vírus que se dá pelo contato entre pessoas, sobretudo pela respiração através de gotículas. Mas nós precisamos de higienização nos prédios públicos e em casa. Nós temos uma capital suja, com muito lixo, e no lixo e nas fezes a secreção dura até quatro dias”, alertou Jaques Neves.

Durante o período de isolamento social, a deputada Dra Heloísa Guimarães (Vice-presidente da Comissão de Saúde na Alepa),  também cardiologista, aconselha para a necessidade de seguir as recomendações de distanciamento, dentre outros protocolos necessários.

“Estou aproveitando a nova rotina dentro de casa de uma forma produtiva. Mas estou tomando todos os cuidados como lavar as mãos com frequência, usando álcool em gel, mantendo o distanciamento e a etiqueta do espirro, tudo isso estou cumprindo”, afirmou.  

A parlamentar comentou que mesmo com trabalhos “home office”, dedica um tempo para visitar as unidades de saúde e fiscalizar os serviços e o atendimento prestados à população, sempre obedecendo as recomendações de cuidados preventivos.     

“Tenho visitado as unidades de saúde e sempre vou de máscara. Visitei as unidades dos bairros da Marambaia e Cabanagem. Além de fiscalizar, estou aproveitando para conhecer essa realidade que vai servir de base para a elaboração de projetos de leis”, disse.

Ginecologista e obstetra, a deputada Ana Cunha reforça o distanciamento social e as medidas de higienização para enfrentar esse momento de pandemia. Ela diz que respeitar as orientações das autoridades de saúde é muito importante para manter maior controle sobre a proliferação.  

“Vale ressaltar que o fundamental para contermos a proliferação desse vírus é a higienização das mãos com água e sabão, uso  da água sanitária para limpeza do piso dos ambientes, em especial na porta da entrada da casa para fazer assepsia dos sapatos, limpeza das maçanetas e chaves, e respeitar o isolamento social”, destacou.

De acordo com a parlamentar, além da higienização constante, é possível fortalecer a imunidade através da alimentação, fator importante para  conter o avanço da Covid-19.

“Mantenha suas metas para o futuro, pois este momento lhe tira do estado de letargia. Faça exercícios físicos, busque a luz solar pelo menos 15 minutos ao dia, pois esta melhora a  vitamina D que é um importante fator para melhorar a imunidade, consumir alimentos ricos em Vitamina C (laranja, limão, acerola), frutas, verduras e legumes ajudam na defesa do organismo”, orientou Ana Cunha. 

Transmissão

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra por contato por meio de toque do aperto de mão (principal forma de contágio),  gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro e contatos com objetos ou superfícies contaminadas como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos e teclados de computador, entre outros.

Sintomas

Os principais sintomas são febre, tosse seca, e em casos graves,  dificuldades para respirar.  

Grupos de risco

Pessoas acima de 60 anos e indivíduos asmáticos, cardíacos,  fumantes, diabéticos, renais crônicos.

Prevenção

Lavar as mãos com freqüência com água e sabão, álcool em gel ou desinfetante à base de álcool ou água e sabão.

Manter a higienização da casa e de superfícies como maçanetas, mesas, chaves, controle remoto e interruptores;

Mantenha distância mínima de pelo menos 1 metro entre você e a pessoa que tosse ou espirra.

Evite tocar nos olhos, nariz e boca.

Ao espirrar ou tossir, o melhor é cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel, que deve ser  descartado imediatamente.

Evite locais onde há  muita gente.

Fique em casa se não estiver se sentindo bem.

Se estiver com febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico. 

Animais de estimação

Ainda não existem evidências nesse sentido.

*Com informações do Ministério da Saúde e Sespa 

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados