sexta-feira, janeiro 27, 2023
spot_img
InícioBelémConcursados da Semec são intimidados por segurança da Prefeitura de Belém em...

Concursados da Semec são intimidados por segurança da Prefeitura de Belém em solenidade

E aconteceu novamente. Isso mesmo. A prática de querer silenciar qualquer crítica, divergência ou desaprovação às medidas da administração da Prefeitura Municipal de Belém (PMB), vai se perpetuando sob a batuta de Edmilson Rodrigues (Psol), e das “novas ideias”. Exemplo recente veio durante a solenidade de posse de concursados da Secretaria Municipal de Educação (Semec), ocorrida na última segunda-feira (4), no auditório David Mufarrej, da Universidade da Amazônia (Unama), localizada na avenida Alcindo Cacela.

O grupo de concursados foi convidado a prestigiar a solenidade no auditório da Unama. De forma pacífica e sem qualquer manifestação com faixa ou cartaz, o grupo testemunhou o evento, mas momentos depois, representantes do cerimoninal da Prefeitura, acompanhados de seguranças do gabinete de Edmilson Rodrigues, retiraram, à força, o professor de nome Wagner. De acordo com o movimento, o concursado teve o braço torcido “como se fosse algum marginal ou tivesse feito algo de errado”.

“O arrastaram pelos corredores até a saída da Universidade, começaram a gritar e ameaçar, bateram nos equipamentos que estavam registrando as cenas, inclusive calúnias foram proferidas”, diz um trecho da nota emitida pelos concursados da Semec, que pedem investigação sobre o caso e que a Semec se retrate diante das agressões físicas e verbais.

REGISTRO E INTIMIDAÇÃO

Durante a movimentação nas escadarias no auditório da Unama, o radialista da Cultura, Fabrício Rocha, registrou a intimidação proporcionada por representantes da gestão municipal, um deles chegando a obstruir o registro do jornalista. “Ainda faço pose pra ti ainda. Sou dessas”, diz uma mulher não identificada.

NOTA DOS CONCURSADOS

Antes de qualquer coisa, gostaríamos de parabenizar nossos colegas que tomaram posse como novos professores concursados na SEMEC/Belém, ontem (4/7), no auditório de uma universidade particular. Acreditamos que a melhoria da qualidade da educação no nosso município é através desse caminho, com professores concursados e qualificados.

Infelizmente, a SEMEC /Belém, contrariando até o entendimento do Supremo Tribunal Federal, decidiu renovar contratos com temporários via PSS, mesmo com a vigência de um concurso, pasmem, esse mesmo que os colegas acabaram de tomar posse (02/2020). Diante disso, nosso movimento foi até a Av Alcindo Cacela de forma pacífica dizer que somos contra os processos seletivos e que a Prefeitura de Belém chame os concursados do cadastro reserva da SEMEC. Apenas abrimos uma faixa na Calçada da Alcindo Cacela e tiramos fotos.

Ainda na Av. Alcindo Cacela, fomos abordados por uma assessora da SEMAD que nos elogiou como movimento e disse para não nos preocuparmos porque logo a prefeitura iria nomear mais pessoas e nos convidou para ir até o auditório. Fomos até lá porque era uma forma de saber o que seria dito e saber a opinião da SEMEC, afinal nossos ofícios com pedidos de audiência e dados abertos datam de mais de 2 meses sem respostas.

Leia também

Com bolo cênico, servidores municipais fecham Almirante Barroso em protesto por melhores salários; acompanhe

Servidores fecham avenida Nazaré e iniciam negociação com a Prefeitura de Belém

Enquanto estávamos no interior do auditório apenas observando, sem dizer nenhuma palavra, sem abrir uma faixa ou cartaz, o cerimonial da prefeitura, acompanhado por seguranças identificados como sendo do Gabinete do Prefeito, retirou a força um Professor do nosso movimento, virando seu braço como se fosse algum marginal ou tivesse feito algo de errado.

O arrastaram pelos corredores até a saída da Universidade, começaram a gritar e ameaçar, bateram nos equipamentos que estavam registrando as cenas, inclusive calúnias foram proferidas.

Isso não é a postura de um Governo Popular, de novas ideias, que diz que quer uma nova educação para Belém. Já basta o que sofremos de agressões do governo federal. Acreditamos no respeito e diálogo, afinal somos educadores!

📌 Exigimos o fim dos PSSs e chamada dos concursados, como reza a legislação.

📌Investigação e retratação da SEMEC diante das agressões físicas e verbais que nossos colegas sofreram.

O portal Diógenes Brandão entrou em contato com a assessoria de comunicação da Semec e com a Comus, a fim de esclarecer o ocorrido e aguardará um posicionamento.

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados