sábado, janeiro 28, 2023
spot_img
InícioDestaqueAliados do governador do Pará e do prefeito de Igarapé Miri são...

Aliados do governador do Pará e do prefeito de Igarapé Miri são presos por corrupção

Na manhã de hoje 11.12.2019, o Ministério Público, em conjunto com o Juiz local, e a PM, fizeram cumprir mandato de busca e apreensão na Câmara Municipal de Igarapé Miri. Os alvos são os vereadores, Kadheq (MDB), Toninho do Murutinga (PSB) e Rufino Leão (PMN), Geo e Mimim Bastos.

Leia a nota do Ministério Público sobre o caso:

Igarapé-Miri: MP cumpre mandados de busca e apreenção na Câmara Municipal de Igarapé-Miri.

Cinco vereadores são alvos da operação deflagrada na manhã desta quarta-feira, 11.

Quem esteve presente na Câmara Municipal de Igarapé-Miri na manhã desta quarta-feira, 11, acompanhou toda a movimentação atípica na casa de leis da cidade.

Enquanto vereadores, assessores e demais servidores aguardavam o início de mais uma sessão para votação de projetos e demandas do município, agentes da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) entraram no local para cumprir mandado de busca e apreensão nos gabinetes de cinco vereadores. Três deles foram identificados: Kadheq (MDB), Toninho do Murutinga (PSB) e Rufino Leão (PMN), além de outros dois que ainda não tiveram os nomes divulgados.

Os vereadores foram encaminhados para a delegacia geral da Polícia Civil, precisamente na Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (DECOR). De lá serão encaminhados para o CPC para exame de corpo de delito e depois entregues ao sistema penal pela Polícia Civil.

As investigações apontam que os vereadores participam de um grupo criminoso montado para praticar crimes e se aproveitarem da influência que possuem em Igarapé-Miri. O grupo é suspeito de cometer crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, estelionato, coação no curso do processo, além de falsificação de documentos.

A busca e apreensão ocorreu na residência e local de trabalho dos investigados, vereadores Antônio Cardoso Marques (Toninho do Murutinga- residente da Câmara), Mario Jelffison Farias Pantoja (Kadheq) e Ruffino Leão e Gelffson Brandão Lobo (professor Gel-secretário municipal) e o empresário Manoel Fonseca Bastos Filho (Mimi Bastos).

Durante as investigações o Ministério Público constatou, por exemplo, a compra de votos para doação de um terreno pertencente ao Município de Igarapé-Miri, com aproximadamente 18.000 m², no centro da cidade, ao empresário Manoel Fonseca Bastos Filho (Mimi Bastos), dono de um dos maiores supermercados da cidade.

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2424231994572895&id=1468414250154679

Kadheq, Murutinga, Rufino, Geo, Mimim Bastos, além de vários documentos. Os parlamentares são acusados por vários crimes de improbidade administrativa e a maioria deles são aliados do atual prefeito Peso Pesado e do governador Helder Barbalho, ambos do MDB.

Leia abaixo a matéria do Ministério Público do Estado do Pará:

Igarapé-Miri: MP cumpre mandados de busca e apreenção na Câmara Municipal de Igarapé-Miri.

Cinco vereadores são alvos da operação deflagrada na manhã desta quarta-feira, 11.

Quem esteve presente na Câmara Municipal de Igarapé-Miri na manhã desta quarta-feira, 11, acompanhou toda a movimentação atípica na casa de leis da cidade.

Enquanto vereadores, assessores e demais servidores aguardavam o início de mais uma sessão para votação de projetos e demandas do município, agentes da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) entraram no local para cumprir mandado de busca e apreensão nos gabinetes de cinco vereadores. Três deles foram identificados: Kadheq (MDB), Toninho do Murutinga (PSB) e Rufino Leão (PMN), além de outros dois que ainda não tiveram os nomes divulgados.

Os vereadores foram encaminhados para a delegacia geral da Polícia Civil, precisamente na Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (DECOR). De lá serão encaminhados para o CPC para exame de corpo de delito e depois entregues ao sistema penal pela Polícia Civil.

As investigações apontam que os vereadores participam de um grupo criminoso montado para praticar crimes e se aproveitarem da influência que possuem em Igarapé-Miri. O grupo é suspeito de cometer crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, estelionato, coação no curso do processo, além de falsificação de documentos.

A busca e apreensão ocorreu na residência e local de trabalho dos investigados, vereadores Antônio Cardoso Marques (Toninho do Murutinga- residente da Câmara), Mario Jelffison Farias Pantoja (Kadheq) e Ruffino Leão e Gelffson Brandão Lobo (professor Gel-secretário municipal) e o empresário Manoel Fonseca Bastos Filho (Mimi Bastos).

Durante as investigações o Ministério Público constatou, por exemplo, a compra de votos para doação de um terreno pertencente ao Município de Igarapé-Miri, com aproximadamente 18.000 m², no centro da cidade, ao empresário Manoel Fonseca Bastos Filho (Mimi Bastos), dono de um dos maiores supermercados da cidade.

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados