segunda-feira, janeiro 30, 2023
spot_img
InícioDramaA "cruzada" do pai do pequeno João Victor expõe as contradições da...

A “cruzada” do pai do pequeno João Victor expõe as contradições da rica Canaã dos Carajás

Na semana em que se comemora o Dia dos Pais, o Portal Diógenes Brandão traz o drama do pequeno João Victor Pinto, narrada pelo pai Breno Wesley, morador da cidade de Canaã dos Carajás, um das mais ricas por conta dos repasses tributários provenientes de projetos mineradores. O áudio foi registrado dias atrás, mas deixa a questão: qual a relação de um pai desesperado para salvar a vida do filho de 1 ano e sete meses com o município milionário de Canaã dos Carajás?

Poderia ser toda relação diante do áudio emocionado e revelador de Breno, que narrou o sofrimento do filho João Victor, com sério risco de morte diante de um problema no intestino. Mas só que não. Aqui é mais um exemplo de paraenses deixando o Estado em busca de atendimento médico.

Bruno Wesley é morador de Canaã há 30 anos e nem por isso seu dependente recebeu o atendimento necessário e de nada valeu os royalties minerários recebidos pela administração da prefeita Josemira Gadelha (MDB). Somente em 2019, o município se beneficiou com R$ 413,5 milhões de Compensação Financeira pela Exploração do Recurso Mineral (CFEM), de acordo com o estudo inédito realizado pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em parceria com a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). A cidade mantém o maior projeto minerário de ferro do mundo, S11D, de responsabilidade da empresa Vale.

“O que eu quero, gente, é arrumar uma vaga numa UTI, pelo SUS, para que eu consiga fazer o tratamento de meu filho, na verdade eu estou lutando pela vida do meu filho”, dizia um trecho do áudio emocionante de Breno.

HISTÓRIA DE JOÃO VICTOR E O DIAGNÓSTICO EM PALMAS

Segundo a família, no dia 25 de julho o menor João Victor apresentou um quadro intenso de cólicas. A criança foi levada às pressas pela mãe, Marcieli Neres, até ao hospital municipal de Canaã dos Carajás, Dr. Daniel Gonçalves, e já com febre e vomitando. A barriga de João estava inchada. “Eles medicaram meu filho, e mandaram ele para casa”, relatou o pai. Apesar de ser atendido, João Victor deixou o hospital com os mesmos sintomas, inclusive, teria vomitado na saída da unidade de saúde, relatou ainda o pai.

Meia hora depois a criança apresentou nova crise de cólicas e a família já não retornou ao hospital municipal. Seguiu para o hospital particular 5 de Outubro. Sem pediatra no estabelecimento particular, João Victor foi medicado e sendo observado durante 24 horas. No outro dia, uma equipe médica, integrada agora por uma pediatra, avaliou as necessidades de uma cirurgia de emergência e da rápida transferência para um hospital de maior porte.

De acordo com Breno Wesley, os cirurgiões constataram a torção do intestino delgado, e devido o tempo em que o menor aguardou para receber a mais adequada intervenção, quase todo o órgão teve que ser retirado, pois entrou em falência. As causas do problema apresentado pela criança ainda seriam investigadas. “Não podia esperar mais, porque senão o meu filho tinha morrido naquela sala de observação”, contou.

ARRECADAÇÃO, TRANSFERÊNCIA PARA PALMAS (TO) E A POSSÍVEL AJUDA DO GOVERNO FEDERAL

Apesar de ser submetida à cirurgia, a criança ainda precisava de internação em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que infelizmente não conseguiu em Canaã dos Carajás. O paciente estava sob o risco de não sobreviver, pois seu estado clínico era delicado. A “cruzada” pela vida de João Vitor não havia terminado.

Em 5 de agosto, após a ajuda de amigos, por meio de transporte aéreo, a criança foi transferida para Palmas, no Estado do Tocantins. Somente na capital tocantinense, chegou-se ao diagnóstico de João Victor: Transtornos Vasculares Agudos no intestino, uma síndrome rara. Após conseguir transferência para um leito do SUS, no Hospital Geral de Palmas, João Victor seguiu sob o acompanhamento de uma equipe multiprofissional. O menor passou por um novo procedimento cirúrgico, enterectomia, que é a retirada de um pedaço do intestino.

Vídeo do suposto momento em que a assessoria do presidente Bolsonaro manteve contato com o pai do pequeno João Victor. (Reprodução)

O traslado entre Canaã e Palmas teve o custo de R$ 70 mil, segundo Breno Wesley. E lá, novos gastos para a família, que teve que assumir diárias no valor de R$ 5 mil, totalizando R$ 50 mil dos dias planejados de internação de um hospital particular, mas que a rede de parentes e amigos, garantiram a solucionar o pagamento do serviço médico. Mas teve que arcar ainda com bolsa de sangue, medicamentos, alimentação e outras providências.

Em um vídeo que já circula pelas redes sociais e nos grupos de WhatsApp, o pai de João Victor teria sido contatado pela assessoria do presidente Jair Bolsonaro, como forma de solucionar o caso. Ele recebeu o chamado durante o deslocamento para o hospital particular Cristo Rei, localizado no Centro de Palmas. Tentamos contato com Breno Wesley, mas até o fechamento desta matéria, ele não nos retornou. Enviamos um contato para a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, a fim de confirmar o suposto contato e vamos aguardar um posicionamento.

NEGAÇÃO DA PREFEITURA

“Na mesa de cirurgia, o médico falou que meu filho precisava de uma UTI , que tinha que tirar meu filho de lá, e arrumar um avião para tirar meu filho, porque não aguentava sair de ambulância. Eu corri atrás, mas tive a negação de secretário de saúde, tive a negação de prefeito”, lembra Breno. “Recebi ajuda de familiares, amigos e gente que nem o conhecia”, acrescentou.

EM PALMAS

O bebê foi acolhido em um dos 10 novos leitos de UTI infantil da unidade hospitalar, os quais fazem parte da ampliação dos serviços, feita pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), nos últimos nove meses.

“Nos últimos meses temos trabalhado na ampliação da oferta de leitos intensivos e já abrimos 20 leitos de UTI infantis e 81 de UTIs adultas. Isso tem jeito a diferença no acolhimento dos tocantinenses e nos permite estender a mão para nossos vizinhos e dar esperança a estes pais que estavam em um momento de desespero”, afirmou o secretário de Estado da Saúde do Tocantins, Afonso Piva.

JOGO DE EMPURRA E AS TENTATIVAS COM A PREFEITURA E O GOVERNO DO PARÁ

O sofrimento não parou. No Estado do Tocantins, Breno tentou obter novo apoio da Prefeitura de Canaã dos Carajás, a fim de transferir o filho para um leito do SUS, mas sem sucesso apesar de, inicialmente, a gestão municipal garantir o processo, mas que pediria a intevenção do Governo do Pará por meio da Secretaria de Estado de Saúde. Mas não conseguiu. No dia da divulgação do áudio, conta que tentou apoio do Governo do Tocantins, mas também sem sucesso. Contudo, dias depois conseguiu tanto leito, pelo SUS, em Palmas, quanto na cidade de Marabá, para onde João Victor foi transferido e onde permanece internado.

NOTA DA PREFEITURA

Diferente do que o ´pai da criança relatou no áudio que viralizou, a Prefeitura de Canaã dos Carajás disse que prestou atendimento à criança e deu o apoio necessário e tentou garantir um leito de melhor porte. Acompanhe a nota.

Nota de esclarecimento

A Prefeitura de Canaã dos Carajás vem a público esclarecer a situação em torno do paciente João Victor, de apenas 1 ano de idade, que está internado na cidade de Palmas no Tocantins. 

No dia 25 de julho, o paciente deu entrada no Hospital Municipal Daniel Gonçalves sentindo dores no abdômen. A criança foi avaliada pela equipe médica, devidamente medicada e liberada para casa. 

A família, então, optou pelo tratamento particular de João Victor e no dia 26 de julho ele foi transferido para Palmas, onde passou por cirurgias e tratamentos específicos. O paciente sofre com Transtornos Vasculares Agudos no intestino, uma síndrome rara.

Somente no dia 3 de agosto, a gestão tomou conhecimento de que a família havia optado pelo tratamento particular e que estava na situação financeira delicada em que se encontra.

Desde então, o governo tem tomado todas as providências cabíveis para ajudar João Victor e sua família e não tem poupado esforços para isso. Nesta sexta-feira (5), após múltiplos esforços dos governos municipal e estadual, por volta das 16h, um leito no Hospital Regional de Marabá foi liberado para João e o paciente será transferido imediatamente via aéreo de Palmas para Marabá, onde receberá todo o atendimento que necessita. 

É importante ressaltar que em nenhum momento o paciente ficou desassistido pela gestão pública municipal, pelo contrário: sempre que foi acionado, o governo atendeu a criança, a medicou seguindo procedimentos, e lutou pela sua transferência.

A saúde e o bem estar de todos os cidadãos de Canaã dos Carajás é compromisso da Prefeitura de Canaã dos Carajás.

Leia também:

Um morto e dois baleados na festa da virada, em Canaã dos Carajás

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais visualizados